Category Archives: Política internacional

Golden Visa PORTUGAL The Golden Visa. What is it? The Golden Visa Programme launched by the Portuguese Authorities is a fast track for foreign investors from non-EU countries to obtain a fully valid residency permit in Portugal (“Golden Visa”).  Under the Golden Visa programme, non-EU citizens simply need to carry out one of the investments set out in the law to qualify to obtain a residency permit in Portugal. This residency permit will allow the investor and his family members to enter and/or live in Portugal and to travel freely within the vast majority of European countries (Schengen space) .  Aimed at attracting foreign investment to Portugal, the Golden Visa is a very straightforward and flexible programme, with simple and clear legal requirements.  With extremely reduced minimum stay requirements, the Golden Visa is clearly one of the most attractive residency programs for investors in the world. 2 – What types of investments are allowed under the Golden Visa rules? The Golden Visa programme was recently widened to include further types of investment. As a result, the following types of investment now qualify for the Golden Visa programme: a) Property Investments : i. Acquisition of property above € 500,000 ; ii. Acquisition of property above € 350,000  – for properties more than 30 years old or located in areas of urban renovation. b) Capital Investments :  i. Transfer of Funds above € 1,000,000 ; ii.Transfer of Funds above € 350,000 for research activities; iii. Transfer of Funds above € 250,000 for artistic or cultural activities; iv. Transfer of Funds above € 500,000 for capitalization of small and medium size companies. c) Job creation : Creation of  a minimum of 10 jobs; It should be noted that only investments effectively made after 8 th October 2012 are eligible for the Golden Visa programme. 3 – For how long is the Golden Visa valid? Once issued, the Golden Visa will be valid for an initial period of 1 (one) year and then will be renewed for subsequent periods of 2 (two) years. More informations, procedures and costs, please contact us: www.ltcfadvogados.pt geral@ltcfadvogados.pt we take care of your interests. LTCF


Anúncios

Europe vs Brexit


BREXIT

Treaties, just as those that built European Union, are cooperation instruments which require mutual surrender from all parties involved.
For the best and for the worst.

British people chose BREXIT.
For the rest of European countries, British people represent one of the most important resident and investing communities.
BREXIT is going to change these citizens relationship with the rest of EU and with each of its national institutions.
How? Nobody really knows yet.
But soon we will be able to give you the best advices.

——————————————-

Os tratados, tal como os diversos que dão corpo a União Europeia, são instrumentos de cooperação e que envolvem cedências mútua dos países subscritores.
Para o bom e para o mau.
O povo britânico optou pelo BREXIT.

O povo britânico representa nos demais países da Europa, uma das mias importantes comunidades residentes e de investimento.

O BREXIT vai alterar as relações desses cidadãos com os demais da União Europeia e diversas instituições nacionais.

Como? Ainda ninguém sabe.

Mas, em breve, estaremos aptos para lhe dar os melhores conselhos.

Ego


Tivemos o Durão 10 anos à frente da União Europeia. Provavelmente teremos o Guterres à frente da ONU. Ganhamos o Europeu de Futebol e temos os melhores jogadores do mundo de futebol 11 e de 5. 

Somos o melhor destino de golfe do mundo e temos, dizem, da gastronomia mais apreciada no globo. Somos dos países mais seguros e eleito como melhor destino do planeta para se gozar a reforma. Ganhamos prémios internacionais, uns atrás dos outros, com as melhores valências de turismo. Temos nichos industriais de ponta de relevo mundial nas novas tecnologias, moldes, sapatos e cortiça. Evoluímos a passos largos na área da investigação. Temos empresários portugueses que triunfam mundo fora. 

Temos uma das melhores redes rodoviárias da união europeia. Somos considerados como um povo afável, de brandos costumes e que sabe receber. Poucos já nos batem nos vinhos. O melhor bolo de chocolate do mundo é nosso e a Livraria Lello é a mais bonita de todas. Para não falar que ninguém nos bate nas paisagens e na facilidade do uso das línguas. 

Lisboa e Porto estão na moda e a nossa

 moda encanta Milão. 

Com isto tudo e tudo aquilo o que me esqueci, ainda assim não passamos da cepa torta. Naufragamos no nosso ego.

Aqui ao lado


As imagens valem o que valem. Cada um as situa no contexto social, político ou económico em que se sente mais confortável. 

Todavia, uma imagem continua a valer muitas vezes bem mais do que um livro.

Aqui, independentemente das circunstâncias e daquilo que cada um pensa, nada explica esta desumanidade. Nada. 

Assim vamos. No médio oriente, no nosso mar do meio. 

Loucuras 


img_2193-1 
Este “rapazinho” kim Jong-Un, que brinca às bombas e leva um povo à total miséria com a neutralidade da chamada comunidade internacional, nasceu neste dia em 1983. Por cá há quem aplauda.

Coreia do Norte.

 

Assim a vai a política internacional. Fonte: Independent.co.uk


image

Perdão


Momento (1953) em que os credores (incluindo a Grécia) perdoavam a dívida da Alemanha na sequência da segunda guerra mundial. Há momentos assim.  

Europa


E a Europa continua a assobiar para o lado. 950 numa traineira a atravessarem o mediterrâneo a caminho do velho continente. 27 sobreviventes. O Mar do meio a transformar-se num cemitério.  

Memória curta


Para que a memória não se torne curta. Soldados alemães do campo de concentração de Belsen-Belsen obrigados a carregar os corpos das suas vítimas. No dia de hoje em 1945.

Imigração


E continuamos a assobiar para o lado  

Um barco que transportava imigrantes virou-se ao largo da costa da Sicília, Itália, fazendo pelo menos 10 mortos, avançou hoje a guarda-costeira italiana.

Em comunicado, a guarda-costeira italiana explicou ter conseguido resgatar 121 pessoas, mas o naufrágio matou pelo menos dez.

Dezenas de pessoas morreram nos últimos meses, no seguimento de ‘vagas’ de imigrantes do Norte de África e zonas de conflito do Oriente Médio que tentam chegar à Europa.