Category Archives: Advocacia

Colina verde resort sport center


Uma iniciativa e investimento da sociedade Maragota SA, com o patrocínio legal e negocial da LTCF – sociedade de advogados RL e o apoio de planeamento e técnico da PLAN – arquitectos associados, o concelho de Olhão em breve poderá ter um dos melhores centros turísticos e desportivos de alta competição (em dezenas de modalidades) da Europa (Colina Verde). O NDT (Núcleo Desenvolvimento Turístico) está agora sob consulta. 

Uma mais valia para o Algarve.
An initiative and investment of Maragota SA, with legal and negotial sponsorship of LTCF – Sociedade de Advogados RL and technical and planning support of PLAN – Arquitectos Associados.

Soon, Olhão can become one of the best touristic and high performance sporting centres (for several modalities) of Europe (Colina Verde).

NDT (Portuguese acronyms for Centre for Touristic Development) is now under consultation.

This Centre is therefore an adding value initiative for Algarve.

O Homem


Rousseau e Hobbes (entre outros) no seu tempo discutiam filosoficamente a natureza benigna ou maligna do Homem.Os dias de hoje não deixam muitas dúvidas.

Ego


Tivemos o Durão 10 anos à frente da União Europeia. Provavelmente teremos o Guterres à frente da ONU. Ganhamos o Europeu de Futebol e temos os melhores jogadores do mundo de futebol 11 e de 5. 

Somos o melhor destino de golfe do mundo e temos, dizem, da gastronomia mais apreciada no globo. Somos dos países mais seguros e eleito como melhor destino do planeta para se gozar a reforma. Ganhamos prémios internacionais, uns atrás dos outros, com as melhores valências de turismo. Temos nichos industriais de ponta de relevo mundial nas novas tecnologias, moldes, sapatos e cortiça. Evoluímos a passos largos na área da investigação. Temos empresários portugueses que triunfam mundo fora. 

Temos uma das melhores redes rodoviárias da união europeia. Somos considerados como um povo afável, de brandos costumes e que sabe receber. Poucos já nos batem nos vinhos. O melhor bolo de chocolate do mundo é nosso e a Livraria Lello é a mais bonita de todas. Para não falar que ninguém nos bate nas paisagens e na facilidade do uso das línguas. 

Lisboa e Porto estão na moda e a nossa

 moda encanta Milão. 

Com isto tudo e tudo aquilo o que me esqueci, ainda assim não passamos da cepa torta. Naufragamos no nosso ego.

Em modo fim de semana


Tapar o sol com a peneira


Tapar o sol com a peneira. Começa mais um ano lectivo e mais uma vez a política do livro mantém-se subjugada aos interesses políticos e económicos.  

Sem réstia de esperança. 

A Câmara de Tavira distribui livros escolares (cujos critérios para aqui não interessam) tal como o fazem dezenas de outras autarquias. 

Além da concorrência desleal às livrarias que investiram no livre mercado, esconde-se o essencial porque assim os políticos o querem. 

Todos os anos o ministério da educação altera os livros em todos os ciclos (por vezes em questões de pormenor) obrigando as famílias a gastarem rios de dinheiro para enriquecer políticos e lobbies. Alteram-se os livros muitas vezes sem alterações nos programas.  

Em suma. Tudo uma cambada.

Nesta matéria esquecem-se de olhar para a querida Finlândia, a menina exemplo na educação para alguns. 

Esqueci-me de dizer. Tenho 4 filhos. Há quem tenha mais e há quem tenha menos. A todos custa.

Newsletter Fevereiro 16


http://eepurl.com/bP6Xrn

Assim a vai a política internacional. Fonte: Independent.co.uk


image

Solidariedade e europa


A Europa, de uma forma geral e ainda que a história nos apresente exemplos diversos, é uma espaço de tolerância, liberdade e bem estar, por mais defeitos que possam apontar. Por isso somos um dos centros do planeta. Por esse motivo nos procuram também os refugiados/vítimas de África e médio oriente. Entre estes, como sempre e em todo o lado, aceito que possa existir gente ruim e que nos queira mal. Todavia, esse não é o cerne da questão. Neste assunto como em todos os outros e como em tudo na vida, temos que saber dar o exemplo. Nunca sabemos quando poderá ser a nossa vez. Sim. Eu sou capaz de acolher refugiados, sejam crianças ou um casal. De modo temporário porque também tenho que fazer pela vida e isto não está fácil. Tudo o resto que se possa escrever contra isto ou este estado de espírito, não me merece consideração. Ainda que aceite. Não há pior miséria do que a miséria da solidariedade.image


  

Liberdade II


Nos anos 70 as mulheres no Afeganistão viviam e conviviam assim. A reles política e a religião cega dão cabo do bom senso que deve imperar na lei.